Aluna do Iema vocacional de Ribeirãozinho investe no que aprendeu e vira empreendedora

10 de agosto de 2017

Os cursos na modalidade Formação Inicial e Continuada (FICs) e Oficinas Presenciais do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) têm sido uma grande oportunidade de mudança de vida e geração de renda para os jovens e adultos das regiões onde há unidades vocacionais.

De acordo com o reitor do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, Jhonatan Almada, o objetivo dos cursos oferecidos na unidade do Iema vocacional é de promover a formação profissional. “O Iema foi criado pra democratizar o acesso à educação profissionalizante, e nós fazemos esse ensino não apenas do ponto de vista acadêmico. Temos clareza que esta educação está relacionada à produção, à economia e ao mundo do trabalho. A prova concreta de que encontramos um caminho correto é o caso da jovem Valmircleia Lima dos Santos, aluna do curso artefatos de couro, que já está comercializando suas produções. De fato, o Iema como aposta do governador Flávio Dino para democratizar o acesso profissional é uma aposta bem-sucedida porque gera resultado concreto”, afirmou o reitor do Instituto.

A aluna Valmircleia Lima dos Santos, da unidade vocacional de Riberãozinho, que participou do curso de artefatos de couro, encontrou no Iema uma chance de ter uma profissão e se inserir no mercado de trabalho.

Valmircleia, de 30 anos de idade, está encantada com todo o conhecimento adquirido no curso até o momento e com os resultados práticos que obtém através da aprendizagem. “Estou muito feliz com tudo que estou aprendendo e colocando em prática, ainda não estou produzindo com o couro especificamente porque é caro e preciso de recursos financeiros para investir, mas estou adequando materiais junto com as técnicas aprendidas no curso”, disse entusiasmada.

Por fim, a aluna afirmou que está confeccionando cerca de 50 peças por mês e que as encomendas não param. Apesar de ainda não ter uma máquina adequada e materiais de qualidade está conseguindo lucrar com as peças confeccionadas e tem perspectivas de alugar um ponto, comprar máquinas especializadas e abrir uma sociedade juntamente com uma amiga. “Eu mudei para Riberãozinho há oito meses, vim de Imperatriz sem perspectivas e o Iema me deu uma grande chance de mudar de vida, estou agora produzindo e ganhando dinheiro, sonhando com a possibilidade de me tornar uma grande empreendedora. Sei que vou conseguir”, finalizou.

SOBRE O CURSO

A gestora geral da unidade, Luciana Oliveira, revela que já é a terceira turma a ser organizada e que devido à grande procura, há um cadastro reserva para as futuras turmas. Com a promessa de implantação de uma fábrica de produtos de couro na região, jovens e adultos buscam uma oportunidade de qualificação e expectativa de ocupar um lugar no mercado de trabalho.

Luciana falou ainda que o curso oferecido pelo Iema é de grande importância, pois havendo oportunidade os que participaram do curso estarão aptos para trabalhar na área, sem esquecer de que a iniciativa fomenta a economia do município e também possibilita o empreendedorismo na região, como aconteceu com Valmircleia. “Estamos satisfeitos com a conquista dela e com os planos para o futuro, é bom fazer parte disso tudo, é um sinal de que o Iema está realizando um bom trabalho”, disse.