Alunos de Pindaré-Mirim são contratados para trabalhar com robótica educacional

13 de janeiro de 2020

Pioneira e um dos maiores destaques na robótica educacional, a unidade plena de Pindaré-Mirim do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) continua deixando a sua marca em toda a região. Desta vez, os alunos Luís Fernando Costa e Raul Victor dos Santos, ex-alunos dos cursos de serviços jurídicos e recursos pesqueiros, respectivamente, foram contratados para trabalhar no laboratório de robótica da Escola São João Batista, que fica localizada na cidade de Santa Inês, distante nove quilômetros de Pindaré-Mirim onde concluíram o ensino médio.

Para o ex-aluno do curso técnico em recursos pesqueiros Luís Fernando Costa, conquistar o primeiro emprego foi o início de uma trajetória de sucesso. “Na nossa região a procura por emprego está muito grande. Fico feliz em concluir o ensino médio e já iniciar no mercado de trabalho. Estou muito satisfeito em iniciar trabalhando em uma área que gosto e me identifico muito. O IEMA me capacitou e me sinto preparado para o mercado de trabalho. Depois da vivência sinto que estou realizando meu projeto de vida e tenho novos planos para o futuro”, contou.

De acordo com o reitor do IEMA, Jhonatan Almada, a inserção dos jovens no mercado de trabalho representa que a sociedade acredita no trabalho do Instituto. “Uma das grandes realizações do IEMA é enxergar seus egressos ingressar no mundo do trabalho. Isso confere seriedade e credibilidade ao trabalho formativo que nós desenvolvemos. As empresas sentem confiança e contratam nossos formados, técnicos, porque acreditam no potencial de cada um dos nossos jovens”, destacou.

Segundo o professor Marconi Penha, a unidade plena de Pindaré-Mirim é uma referência no ensino da robótica para toda a região. “A contratação dos nossos alunos aconteceu principalmente porque a escola teve uma demanda por professores de robótica que na localidade não tinha. A escola viu o IEMA como essa referência e oferecemos nossos alunos da robótica que são capacitados. Eles passaram por entrevista e vivência no ambiente e foram contratados. Fizeram treinamento com o sistema positivo da lego de Curitiba e vão trabalhar com robótica educacional, do maternal ao ensino fundamental maior”, explicou o professor acrescentando que a contratação dos seus alunos é sinônimo de missão cumprida. “Analiso como fruto de um bom trabalho realizado pelo IEMA e reconhecimento do mesmo por parte dos parceiros, pela nossa qualidade de ensino. Hoje somos referência nessa área da educação profissional e robótica educacional”, acrescentou.