Comunidade escolar do IEMA realiza programação alusiva ao Pink Shirt Day

20 de maio de 2020

IMG-20200518-WA0018Idealizado pelo Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), o “Pink Shirt Day” (Dia da Camisa Rosa) teve adesão de professores, alunos, ex-alunos e familiares, que realizaram uma vasta programação durante toda a quarta-feira (20). A meta era celebrar e chamar atenção para o debate contra o bullyng e qualquer tipo de discriminação e preconceito.

A ação propôs o uso de camisas na cor rosa durante todo o dia. Na oportunidade, as unidades plenas desenvolveram lives e rodas de conversa online, envolvendo temas relacionados ao preconceito e qualquer tipo de discriminação.

Na unidade plena Itaqui-Bacanga, o Grêmio Estudantil Zumbi dos Palmares realizou uma live com o objetivo de debater as diversas formas de bullying e preconceitos existentes na sociedade. A estudante Nathália Alves destacou que a intenção foi aderir à causa, proporcionando protagonismo aos participantes. “A ideia partiu de abrir um espaço de conversa sobre bullying um pouco diferente e descontraído, mas foi bem mais do que isso. Tivemos um espaço formativo de muita aprendizagem. Levantamos temas como gordofobia, participação da família na escola e racismo”, explicou a estudante, realçando que durante toda a live houve interação e participação dos alunos e professores da unidade, bem como outras pessoas da comunidade.

O gestor pedagógico da unidade plena Itaqui-Bacanga, Jorge Marvão, relatou que o evento é de grande relevância para comunidade escolar. “Me alegro por fazer parte do IEMA, que tem a ousadia de trazer esse tipo de discussão para o ambiente escolar. Dedicando um dia todo a essa temática. Precisamos combater o bullying e cultivar uma cultura de paz e nenhum lugar é mais propício para isso que o ambiente escolar, onde se cruzam e convivem todas as raças, cores, credos, e gêneros”, relatou Marvão, acrescentando que essa também é uma oportunidade que provoca a autonomia e o protagonismo.

“Com essa ação, os jovens estão se tornando o elemento central da prática educativa, pois foi uma ideia deles desde a elaboração até a definição dos temas. Eu fico feliz, pois vejo que eles estão contribuindo não somente com a escola, mas também com a comunidade em que eles estão inseridos e fazendo toda a diferença”, acrescentou.

A unidade plena de Axixá propôs uma roda de conversa na plataforma Google Meet, para debater os efeitos do preconceito e do bullyng na escola. A psicóloga da Rede IEMA, Farlanni Nizete, participou da ação e ressaltou a importância de discutir o tema. “Bullying significa atos de violência física e/ou psicológica intencionais, fazendo assim, com que ambos os lados adoeçam diante desse cenário. Essa iniciativa tem uma importância indescritível para todos, falar sobre o que causa sofrimento no outro importa tanto quanto o que causa sofrimento em mim mesmo”, ressaltou.

A unidade plena de Presidente Dutra preparou uma live com professores para debater a história que dá nome à ação. “É importantíssimo que o IEMA trabalhe a temática do Pink Shirt Day. Fico muito feliz em poder participar de algo tão bonito. Acredito que essa data nos faça refletir sobre nossos preconceitos e principalmente sobre bulliyng dentro das escolas também. Tivemos a ideia de fazer a live contando um pouco da história do Pink Shirt Day e convidamos duas professoras que também se interessam pela temática e estamos muito animadas”, contou Juliana Dias, bibliotecária da unidade.

O Pink Day surgiu no Canadá em 2007, quando dois meninos mobilizaram a comunidade escolar em solidariedade a um colega que tinha sofrido bullying, por usar uma camisa cor de rosa na escola. Desde então, é realizada anualmente no país.