Estudantes do IEMA atendidas pelo AEE são aprovadas no Enem

29 de julho de 2020

Estudantes do IEMA recém-aprovadas no ENEM

Ter acesso ao ensino superior é o sonho de muitos estudantes. Por isso, essa conquista é motivo de muito orgulho para duas estudantes com baixa visão (visão monocular) da unidade plena São José de Ribamar do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). Contempladas pelo Atendimento Educacional Especializado (AEE), as alunas foram aprovadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A estudante Emmylly Mayra, ex-aluna do curso de Eletromecânica, foi aprovada para o curso de Hotelaria na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Além disso, sua amiga Bruna Aguines, ex-aluna do curso de Informática, foi aprovada para o Curso Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia (BCT), também na UFMA.

Para a estudante Emmylly Mayra, o IEMA é uma escola que proporciona excelentes oportunidades. “Cheguei na unidade com muitas dificuldades na área de exatas, mas com ajuda e contribuição dos professores, consegui superar. Frequentava as aulas de AEE e lá fazia atividades lúdicas com jogos, caça-palavras e palavras cruzadas, que ajudaram a melhorar minha concentração e atenção. Fiz estágio e coloquei em prática o que aprendi no meu curso. Me sinto muito feliz pela minha conquista!”, contou a aluna.

Bruna Aguines destacou que o IEMA propiciou seu crescimento pessoal, acadêmico e profissional. “Programas como o estudo orientado e principalmente o projeto de vida foram essenciais para nortear minha caminhada. Isso tudo somado ao AEE, onde aliava conhecimento às atividades lúdicas, me ajudava bastante. As aulas elevaram a minha autoestima, me ajudaram a ter autonomia e lutar pelos meus sonhos. Sou muito grata”, disse.

A professora de AEE da unidade, Iolete Diniz, ressaltou que a metodologia do Instituto propicia a acessibilidade no ambiente escolar. “É muito gratificante a conquista das duas estudantes. Sou grata por estar no IEMA, uma escola pública inclusiva que respeita as leis de inclusão e oferece condições para que os alunos superem seus próprios limites e dificuldades. Essa vitória é dos estudantes, suas famílias e, principalmente, fruto de um trabalho de toda a unidade”, frisou.

De acordo com o gestor geral da Unidade Plena de São José de Ribamar, Rodrigo do Norte, as aprovações chegam para coroar o trabalho desenvolvido na unidade. “Receber a notícia que nossas alunas foram aprovadas para cursar uma universidade pública, nos deixa emocionados. O objetivo da educação inclusiva é buscar atender e integrar, em um ambiente comum, os alunos com necessidades educativas especiais (NEE), de modo que participem e se sintam acolhidos pela escola em um sistema regular de ensino. Deste modo, incentivamos não apenas a aprendizagem, mas especialmente o desenvolvimento humano de todos”, explicou o gestor.

Segundo a assessora em Educação Especial do IEMA, Arlethe Ferreira, essa conquista só reforça um dos valores do IEMA, a Inclusão.  “Trabalhamos seguindo as premissas, princípios e eixos formativos do nosso modelo institucional. O trabalho colaborativo é muito significativo na educação especial das unidades plenas do Iema, envolvendo as equipes gestoras, professored da sala de recursos multifuncionais, intérpretes de Libras, professores da sala comum, bibliotecária, e etc, todos de mão dadas para a realização do Projeto de Vida dos nossos estudantes público-alvo da Educação Especial”, declarou Arlethe Ferreira, coordenadora de Educação Especial do IEMA.

Fonte: Seduc
Fotos: Divulgação
29/07/2020