Iema na SBPC: pesquisa da UP Pindaré-Mirim apresentará a contribuição da robótica no ensino da matemática

10 de julho de 2018

A robótica educacional é parte do modelo pedagógico do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema). Os alunos e professores da UP Pindaré-Mirim compreendem a importância da robótica em sala de aula e por isso, apresentarão uma pesquisa na 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) cuja temática é “A contribuição do resultado da robótica no ensino da matemática”. A SBPC vai acontecer dos dias 22 a 28 de julho na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em Maceió (AL).

Os estudantes Samuel Crispim e Jhonata Fernandes são do curso técnico em serviços jurídicos apresentarão no evento os resultados da pesquisa relacionada ao ensino da robótica desenvolvida em conjunto com o professor de geografia da UP de Pindaré-Mirim, Aglailton Monteiro.

A robótica pedagógica ou robótica educacional consiste basicamente na aprendizagem por meio da montagem de sistemas constituídos por robôs. Esses dispositivos criados em sala de aula passam a ser, na verdade, objetos cognitivos que os alunos utilizam para explorar e expressar suas próprias ideias.

O professor de geografia Aglaiton explica que o trabalho busca mostrar uma maneira alternativa de ensino, além de poder contribuir na educação, em especial nas aulas da matemática, despertando a curiosidade e o interesse pela disciplina que por muitos é tida como a mais difícil e complicada. “Com o avanço tecnológico nos dias atuais se faz necessário que se busquem novas ferramentas para auxiliar o ensino aprendizagem, visto que as descobertas e informações se multiplicam numa velocidade impressionante que nos obriga na busca de algo que facilite o melhor ensino. O nosso trabalho mostrou que houve uma significativa melhora nos coeficientes dos alunos que participam da eletiva robótica, na disciplina de matemática e até mesmo um melhor comportamento dos alunos referente às outras disciplinas”, explicou Aglailton.

Ainda segundo o professor Aglaiton, o objetivo geral da pesquisa feita de julho a setembro de 2017 foi realizar intervenções colaborativas no campo escolar que possibilitasse a dinâmica da prática docente aplicando a robótica como ferramenta interdisciplinar nos estudos da física e da matemática, na ótica da agregação da aprendizagem colaborativa, da autonomia, raciocínio lógico e criatividade.

“Sempre tive o interesse na robótica e gosto muito das áreas de exatas. Durante a pesquisa, me aprofundei no assunto para acompanhar o professor, já que ele sabia um pouco sobre. Aplicamos o questionário semiestruturado destinado aos professores e alunos da unidade para mapear e entender a vivência pedagógica curricular da robótica no ensino médio. Auxiliei também na produção escrita como a introdução, a metodologia, o objetivo e a conclusão, aplicando os conhecimentos que obtive”, contou o estudante Samuel Crispim.

De acordo com o reitor do Iema, Jhonatan Almada essa é a primeira participação do Instituto na SBPC em stand próprio com uma delegação expressiva de estudantes. “A participação do Iema na SBPC destaca os trabalhos desenvolvidos nos últimos quatro anos, a pesquisa sobre a importância da robótica no ensino da matemática evidencia uma conquista institucional relevante que contribui para o ensino da matemática, da física, da eletrônica e da programação e esse trabalho vai apresentar os resultados dessa contribuição”, destacou Almada.