Iema realiza I Semana de Iniciação Cientifica

5 de dezembro de 2017

SemicNa busca por desenvolver um país, um Estado ou uma cidade, é necessário primar pelo desenvolvimento de pessoas. Empreender formas que disponibilizem para a população maranhense conhecimentos básicos de ciência e tecnologia é a maneira pela qual o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – Iema tem trabalhado junto ao seu corpo discente.

Como forma de fomentar e desenvolver o interesse para com as práticas de iniciação científica, o Instituto realiza a I Semana de Iniciação Cientifica- Semic, com a oferta de minicursos com duração de quatro horas cada, além de palestras, apresentação de trabalhos, pôsteres e certificações ao final da Semana, etc. A Semana acontece em todas as unidades plenas do Iema.

A Semic deu largada na sua programação nesta terça-feira (5), com cerimônia de abertura no auditório Ferreira Gullar, situado na unidade plena de São José de Ribamar. O gestor pedagógico da unidade, professor Márcio Lopes, deu boas-vindas aos estudantes e convidados, enfatizando posteriormente a importância da I Semana de Iniciação Cientifica do Iema, destacando ainda, a educação cientifica ‘como um princípio educativo adotado pelo Instituto’.

Em visita a unidade plena, o reitor Jhonatan Almada interagiu com os alunos e conversou com gestores da unidade acerca da programação da Semic, que passará a integrar o calendário acadêmico do Iema. “A Semic é mais uma forma de incentivar, além de valorizar os trabalhos e pesquisas desenvolvidas pelos estudantes contando com a orientação dos professores. Estamos extremamente jubilosos com a quantidade de trabalhos inscritos e com a participação engajada de todas as nossas unidades. Temos a certeza que em 2018 a Semic terá proporções muito maiores. Hoje tivemos palestras e minicursos, amanhã o enfoque será na apresentação dos trabalhos de nossos alunos”, informou.

A programação contou ainda com palestra da docente de língua portuguesa e metodologia científica da Ufma Claudia Leticia Gonçalves. A professora, convidada a contento pelo pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Extensão, Dario Soares, ministrou sobre o ‘Viver Ciência: Estímulo a Criatividade e Valorização da Ação Investigativa para a Promoção da Iniciação Científica. Claudia Leticia, que também tem mestrado em cultura e sociedade, e doutoranda em literatura, ressaltou a proposta como sendo fomentadora de futuros pesquisadores no nosso Estado. “Achei a proposta muito interessante. Conforme conversei ao longo da palestra com os alunos, o intuito foi destacar a importância da iniciação cientifica desde cedo na educação básica, principalmente quando se está há um passo do ensino superior, caminho que muitos dos alunos almejam alcançar na próxima etapa de suas vidas. A importância de primar pela iniciação cientifica básica está relacionada ainda, aos déficits que existem no nosso país acerca da ciência e da tecnologia. A proposta do Iema e de outras instituições que trabalham com iniciação cientifica de preparar os alunos para o ‘fazer ciência’ é de suma relevância, potencializando o número de futuros pesquisadores”, afirmou.

Dentre os minicursos que compõem a programação da I Semic, o intitulado ‘A Arte da decoupage em vidro’ foi ministrado por Iolete Maria Araújo, do Atendimento Educacional Especializado e pela assessora Pedagógica, Olávia Silva. Em depoimento, Iolete explicou que o minicurso visa ensinar os alunos a transformar qualquer garrafa ou pote de vidro em um artigo decorativo. “Estamos trabalhando com exibição de vídeos no intuito de maximizar e fixar o aprendizado dos alunos. A tarde realizaremos a parte prática, onde eles terão a oportunidade de confeccionar suas próprias peças”, explicou.

Além da ‘A Arte da decoupage em vidro’, aconteceram ainda os minicursos de Educação Financeira para o seu Projeto de Vida, ministrado pelos professores Eliane dos Santos Carvalho Tanimoto e Francisco de Paula Santos Filho; ‘Reaproveitamento de Alimentos e Qualidade de Vida’, com as professoras Maria José Dias dos Santos e Maria José Cordeiro Andrade, ‘Jogos Matemáticos’, ministrado pelo professor Victor Eduardo Gomes Ferreira, ‘Noções Básicas de Elaboração de Trabalhos Científicos’, com a professora Elizabeth Abreu de Sousa Santana, além do minicurso de ‘Tecnologia e Educação: Virtualização’, com o professor Wilson Francisco, que em depoimento, explicou. – “Este é um minicurso mais voltado para o público de técnico em informática. Por exemplo, você tem um computador em casa e quer fazer estudos sobre diferentes programas, deseja instalar um sistema, ou mesmo saber como ele funciona no que diz respeito a configuração, contudo, você não quer usar a sua máquina de forma direta nesse estudo. Por meio da máquina real, é possível criar uma plataforma virtual onde se pode instalar todos os programas necessários para se fazer tal estudo, sem correr o risco de danificar diretamente o computador físico. Caso haja problemas, a chamada ‘máquina virtual pode ser desinstalada e substituída por outra sem maiores complicações”, explicou.

Para o aluno da unidade Atila Roberto, do curso de agricultura orgânica “a Semic é uma metodologia que te coloca para frente, te faz avançar. Você chega no ensino superior com uma noção muito mais clara acerca da iniciação e metodologias científicas. A instituição sempre se porta de forma inovadora e por meio desse comportamento, faz com que os alunos ascendam a níveis bem maiores de conhecimento”, finalizou.

Na parte da tarde a programação da Semic seguiu com:

13h às 15h – Retomada dos Minicursos
15h às 15h20 min– Intervalo – Lanche
15h20min às 16h30min – Mesa Redonda: “Impactos do Ensino de Língua
Estrangeira e dos Programas de Intercâmbio nos Projetos de Iniciação
Científica”

Local: Auditório Ferreira Gullar – IEMA – UP São José de Ribamar
Participantes:
Profa. Bel. Fabiana de Oliveira Moura
Prof. Ma. Olga Maria Silva Gutierrez
Intercambista do Programa Cidadão do Mundo
Prof. Marcio Lopes (Mediador)