Mostra científica do CEC Iema Caxias reúne familiares de alunos e estudantes de outras escolas

6 de julho de 2019

Imagem Bento Leite CEC Iema (9)Nesta sexta-feira, 5 de julho, um grande número de estudantes de escolas públicas do município de Caxias participou da mostra científica do CEC – Centro de Educação Científica do Iema (Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão). Outra presença bastante notada foi a dos familiares dos alunos do CEC. A primeira mostra de 2019 aconteceu das 8h às 17h no Centro de Cultura, onde funciona o CEC Iema. Os organizadores informaram que centenas de pessoas – entre parentes e estudantes – participaram do evento.

Danilo Neto (10 anos), um dos monitores da oficina de ciência e história, explica que a mostra científica é o momento dos alunos porque são eles que organizam sem muita influência dos professores. Na opinião do Danilo, a mostra é válida porque testa o conhecimento que adquiriram e assim eles podem mostrar ao público o que o CEC Iema ensinou. “Acredito que o público está gostando porque eles estão se divertido na sala de informática, na oficina de história, estão aprendendo um pouco mais da história de nossa cidade, das lendas, nossa cultura. A gente se diverte muito fazendo essas coisas, porque a gente aprendeu pra ensinar. Estamos sempre aprendendo, mas também ensinando para as outras pessoas, que podem repassar o conhecimento. Quando uma pessoa vem aqui pra nossa mostra, ela fala para as outras e aí vai repassando o conhecimento, e isso é ótimo.”

O reitor do Iema, Jhonatan Almada, enviou uma mensagem que foi exibida para os alunos e seus formadores. Almada disse que a mostra é especial para a toda a equipe escolar do CEC Iema, ‘porém é mais especial para vocês que estão construindo sua trajetória conosco no CEC’. “A mostra científica representa a continuação de um projeto bem-sucedido e é a contribuição do Iema para vocês que estão no ensino fundamental”, afirmou o reitor.

Jhonatan Almada explicou a importância de o Iema desenvolver esse tipo de trabalho com estudantes do ensino fundamental ao lembrar que de cada grupo de 100 jovens que fazem do sexto ao nono ano, somente 76 concluem. “O trabalho do Iema com o CEC é estratégico porque vai auxiliar cada um de vocês a concluir com êxito o ensino fundamental, vai ajudar a ter elementos para que construam seu projeto de vida e realizem seus sonhos. Esse é o grande sentido do Centro de Educação Científica do Iema.”

Imagem Bento Leite CEC Iema (15)00De acordo com a direção do CEC Iema, a mostra científica é realizada duas vezes ao ano, sempre no final de cada semestre. Toda produzida pelos próprios alunos – esse ano mais de 200 alunos do ensino fundamental frequentam a escola -, tem por objetivo apresentar o que foi produzido pelos alunos ao longo do semestre. “Além de estudantes de outras escolas, a mostra reúne os familiares dos alunos do CEC. Então, esse evento é bem interessante para que os pais vejam o que seus filhos estão produzindo”, afirma Luciane Márcia Bezerra Teixeira, gestora do CEC Iema.

“Esse momento é um dos mais ricos para o público em geral – estudantes e professores de outras escolas – que passam a ter contato com tecnologias que muitas vezes não estão disponíveis em suas unidades escolares. E é um momento de ressignificação para alunos e professores do CEC Iema, que veem ali solidificado o que fazem durante o semestre”, explica Anna Paula Araújo, supervisora do CEC Iema, ressaltando que a mostra é o primeiro contato dos alunos com o que se denomina ‘divulgação científica’.

Esta primeira mostra trouxe duas oficinas e um teatro científico. Com a oficina de ciência e história os estudantes procuram desmistificar a ideia de que história não é ciência e comprovam o contrário por meio do método de pesquisa utilizado durante os estudos. Uma das atrações desta oficina é o projeto Limc – Liga de Iniciação de Meninas na Ciência – que desenvolve no CEC Iema um trabalho de ressignificação da mulher na ciência. “A gente faz um trabalho para além da ciência, nosso trabalho é também de ressignificação do papel da mulher”, explica a professora Débora Gomes Cruz, que coordena o projeto. A segunda oficina – ciência e robótica – faz compreender que a robótica é parte da nossa vida, está presente no dia a dia das pessoas e não se resume a um robô.

Aluna da Unidade Municipal Raimundo Nunes da Silva Kauanny Gonçalves (10 anos) conta que adorou o evento, principalmente porque os alunos falam sobre ciência de forma bem descontraída. “Gostei muito da ‘Calçada da fama’ porque tem o nome das mulheres famosas da cidade, mas também do Maranhão e do Brasil”, afirmou.
Uma das inovações da mostra deste ano foi o teatro científico – apresentado pelo grupo ArduHistórico – que chamou bastante a atenção do público ao trabalhar o conhecimento científico, em especial a robótica e a valorização da história local (Caxias/Maranhão), por meio do teatro. O grupo prepara um roteiro e a peça completa deve ser apresentada durante a Semana de Ciência e Tecnologia de Caxias, prevista para o mês de outubro. “Para nós é gratificante realizar este trabalho porque essa é a primeira ação do nosso teatro científico, ferramenta de mão dupla por meio da qual o aluno aprende e ensina”, comenta o professor Wenderson Ferreira, coordenador do projeto.

Na avaliação da gestora do CEC Iema, Luciane Márcia Bezerra Teixeira, a mostra científica foi bem gratificante porque permitiu avaliação do trabalho realizado na unidade escolar. “Quando expomos os trabalhos dos alunos, verificamos o quanto nosso trabalho obteve êxito, avaliamos esses alunos e seus interesses e medimos o compromisso dos seus familiares que são nossos convidados especiais.”
Está agendada para novembro a segunda mostra científica do Centro de Educação Científica do Iema Caxias. Alunos de CEC Iema, seus familiares e colegas estudantes de outras escolas vão se encontrar no dia 29 de novembro.