Projeto de exibição de produções maranhenses é lançado pela Escola de Cinema do Iema

16 de maio de 2019

Os admiradores da sétima arte agora têm um encontro marcado uma vez por semana com a tela de cinema. O projeto “Iema no Cinema” que teve abertura na manhã desta quinta-feira (16), no Cine Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís, foi idealizado pelos alunos do curso de produção cinematográfica da Escola de Cinema do Maranhão, unidade vocacional do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema). A ação acontece em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Sectur).

A iniciativa contempla a exibição de filmes, curtas, documentários e videoclipes com temáticas variadas produzidos por artistas maranhenses. Além de tudo isso, haverá roda de conversa com um profissional de referência na área após as exibições.

O primeiro dia foi marcado pela exibição de dois videoclipes: “Mais que danada”, de autoria da cineasta Dominica e Mabü; e o segundo “Você bagunçou comigo”, de Yhago Sebaz feat. Aladin e Jéssica Lauane.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, participou da abertura do projeto e parabenizou a iniciativa da escola. “Muito importante que os estudantes vivenciem essa experiência e tenham contato com os profissionais maranhenses que já estão no mercado. Isso amplia a visão deles para a profissão que estão buscando, além de intensificar a ocupação do Cine Praia Grande com arte produzida aqui”, ressaltou o secretário.

De acordo com o gestor da Escola de Cinema do Maranhão, Josué da Luz, a palavra impactante define o primeiro dia de exibições. “Começamos o projeto despretensiosamente e não imaginávamos que ganharia essa proporção toda. Ficamos surpresos com o público, a movimentação e o envolvimento da turma, e como as coisas foram se agregando logo no primeiro dia”, contou o gestor, acrescentando que mesmo com contexto lúdico, o projeto é uma ação formativa.

“Percebemos que o público se identificou muito não só com o que foi exibido, mas com o que foi dialogado pelos realizadores, após a exibição. Foi um bate papo muito bom e muito especifico sobre o que é o cinema, os bastidores, o mercado de trabalho, e os processos de criação e profissionais que se envolvem no audiovisual. Percebemos que os alunos e os artistas estavam muito felizes em construir esse conhecimento em conjunto, e foi muito gratificante”, acrescentou.

A produtora audiovisual e professora do curso de produção cinematográfica, Thaís Lima, classificou o primeiro dia de exibições como positivo. “O projeto é realizado com total protagonismo dos alunos. Todos conseguiram executar com sucesso as funções que foram demandadas. Como professora, fiquei surpresa, pois superou minhas expectativas. Foi engrandecedor o dialogo dos participantes com a juventude. Os espectadores não saíram até terem suas dúvidas sanadas, isso foi incrível”, disse.

Thaís contou, ainda, suas expectativas para as próximas exibições. “Espero que as seguintes sejam tão boas quanto a primeira, ou melhor, e que meus alunos juntem o conhecimento da teoria aliada a essa prática. Tenho certeza que trará novas possibilidades para que eles avancem e se sobressaíam no mercado de trabalho”, completou.
A estudante do curso de produção cinematográfica, Tainá Costa, frisou que a ação é fundamental para o desenvolvimento do aprendizado. “A partir do momento em que a professora apresentou o projeto em sala de aula, ficamos muito animados, pois é uma coisa nova e que eu nunca tive a oportunidade de participar. Tenho certeza que tudo que aprendi nesse primeiro dia me fará ver com outros olhos a profissão que escolhi”, frisou.

O projeto acontecerá às quintas-feiras, do mês de maio, das 8h30 até 11h20, no Cine Praia Grande. No dia 23 serão apresentados dois curtas com temática experimental e de ficção: “A catarse das flores”, de Isac Sadrack; e “Estatística (s)”, de Nádia Mária. No dia 30, último dia de programação, serão exibidos: “Nambuaçú” e “Promessas são promessas”, de Tairo Lisboa.