Projeto “Iema no Cinema” chega ao quarto dia de exibições no Cine Praia Grande

10 de junho de 2019

IMG-20190607-WA0083“A princípio seria apenas um mês de exibição, mas por causa da demanda que a mostra tem recebido faremos nove exibições que irão até julho. Essa é mais uma prova de que tem produção cinematográfica maranhense de qualidade e que precisa de espaço como esse”, destacou empolgado gestor geral da Escola de Cinema do Maranhão, Josué da Luz, referindo-se ao sucesso do projeto “Iema no Cinema”, que foi criado pelos alunos do curso de produção cinematográfica da unidade vocacional Escola de Cinema do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Sectur).

O projeto consiste em realizar sessões cinematográficas com produções audiovisuais maranhenses (curta-metragem, longa-metragem, clipes) todas as quintas, no Cine Praia Grande, localizado no Centro de Criatividade Cultural Odylo Costa filho, e promover debates com os profissionais que participaram dos produtos fílmicos exibidos.

Na manhã desta quinta-feira (6) foram exibidas as produções “Carnavalha”, dos diretores Áurea Maranhão e Ramusyo Brasil, e “Avesso”, do diretor Francisco Campelo. Para Áurea, que é atriz e também atuou no curta, o projeto permite um espaço de troca de experiências, que é fundamental. “Quero enaltecer o espaço que estamos ‘co-criando’ nesta mostra, na glória do Iema. Este projeto é fundamental principalmente porque traz jovens de escolas públicas e mostra para essa galerinha que é possível ver profissionais maranhenses produzindo filmes e ganhando destaque nacional”, disse a atriz que já foi professora da Escola de Cinema do Iema e, recentemente, atuou na novela “A Dona do Pedaço”, da Rede Globo.

Em relação ao estímulo que o artista maranhense recebe com o projeto “Iema no Cinema”, Áurea diz que “infelizmente nossas salas de cinemas são ocupadas por filmes hollywoodianos e filmes que têm grandes produções acima de R$ 3 milhões. Aqui temos a oportunidade de exibir filmes que são produzidos no nosso estado, sem patrocínio e por artistas que tem muita vontade de trabalhar e se profissionalizar. Eu acredito que espaços como estes tanto legitima a arte de produtores e atores do meio cinematográfico quanto mostra para as novas gerações que elas podem se inspirar no que já fazemos”, concluiu.

Os alunos das escolas Centro de Ensino Estado do Pará e Centro de Ensino Nerval Lebre Santiago, envolvidos em disciplinas eletivas em audiovisual, foram convidados para assistir os curtas. De acordo com a estudante Ana Verissima, de 17 anos, foi interessante ver na prática o que havia estudado em sala de aula. “Na escola fizemos um trabalho sobre roteiro para cinema e hoje pudemos ver de perto como isso funciona e foi muito gratificante ter tido essa experiência”, concluiu.

Toda a organização da mostra é feita pelos alunos do curso em Produção Cinematográfica do Iema e para a estudante Jeyci Elizabeth trabalhar no desenvolvimento e execução do projeto tem sido importante para aprender mais sobre cinema. “Vemos que é uma iniciativa que consegue abraçar várias necessidades do universo cinematográfico porque aprendemos a produzir cinema, a trabalhar com formação de público e ainda conseguimos dar visibilidade às produções maranhenses, o que fortalece o cinema maranhense”, disse, acrescentando que a iniciativa funciona como extensão da sala de aula, já que “ao longo da semana nós debatemos vários temas referentes ao audiovisual e quando chegamos aqui vemos as produções com um olhar mais técnico, identificando angulações, enquadramentos, planos, etc.”, declarou.

“Esse projeto nasceu dentro da Escola de Cinema, e nós demos o apoio para que hoje os alunos pudessem estar aqui, para que projeto da equipe da Escola pudesse sair do papel. Reconhecemos todo o esforço e dedicação de vocês com o cinema local”, disse o secretário adjunto de Educação Profissional e Inclusão Social, André Bello.

“Tanto a educação quanto a arte tem um papel fundamental em formar caráter, transformar comportamentos, criar oportunidades entre tantos outros benefícios. E quando as duas andam juntas, os benefícios são potencializados múltiplas vezes. É isto que o projeto Cinema no Iema está fazendo: abrindo horizontes, criando oportunidades para centenas de jovens para que vivenciem essa experiência e tenham contato com os profissionais maranhenses que já estão no mercado”, pontuou o secretário Felipe Camarão.

Para o reitor do Iema, Jhonatan Almada, o “Iema no Cinema” tem importante papel na popularização do audiovisual maranhense além de permitir que o “jovem se interesse por essa área, mobilizando a sua atenção para uma vocação cinematográfica. Acredito que o projeto está conquistando o coração dos jovens para a arte do cinema”, declarou.