Redes

Ennes de Souza de Laboratórios Educacionais

EnnesdeSouza-LABs

A Rede Ennes de Souza de Laboratórios Educacionais do IEMA foi criada pela Resolução CONSUP/IEMA Nº 71, de 01 de fevereiro de 2018 com o objetivo de reunir e organizar a ação dos Laboratórios da Base Nacional Comum e Base Técnica de cada Unidade. A Rede se vincula a Diretoria de Pesquisa e Extensão do IEMA.

Quem foi Ennes de Souza?

ANTÔNIO ENNES DE SOUZA (1848-1920). Em 1867 mudou-se para a Europa, onde estudou na Universidade da Sorbonne, em Paris. Retornou ao Maranhão e atuou no comércio do estado até 1873. Regressou então à Europa e formou-se na Universidade de Zurique, na Suíça. Depois, ingressou na Academia Real de Minas de Freiberg, na Saxônia, onde conseguiu o diploma de engenheiro de minas. De volta ao Brasil, tornou-se professor da Escola Politécnica do Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores e o primeiro presidente, em 1897, da Sociedade Nacional de Agricultura. Fundou e foi o primeiro presidente da Liga Brasileira contra o Analfabetismo de 1915 a 1920. Fundou e foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ciências em 1916. Um dos fundadores da Sociedade Central de Imigração, participou da campanha abolicionista ao lado de José do Patrocínio e defendeu reformas sociais avançadas para a época. Foi também membro da Academia Brasileira de Ciências, da Sociedade de Ciências Naturais de Zurique, na Suíça, e da Sociedade de Química de Berlim, na Alemanha. Faleceu no Rio de Janeiro em 1920. Acesse CPDOC/EnnesdeSouza.


Bandeira Tribuzi de Bibliotecas

BANNER BIBLIOTECA TRIBUZI

A Rede Bandeira Tribuzi de Bibliotecas do IEMA foi criada pela Resolução CONSUP/IEMA Nº 22, de 24 de janeiro de 2017 com o objetivo de reunir as Bibliotecas de cada Unidade e organizá-las com Plano de Trabalho comum e Coordenação unificada. A Rede se vincula a Diretoria de Ensino do IEMA.

Quem foi Bandeira Tribuzi?

BANDEIRA TRIBUZI (1927-1977). Nasceu em São Luís, a 2 de fevereiro de 1927. Quando Bandeira Tribuzi, em 1946, retornou ao Maranhão, vindo de Portugal, após 16 anos de estudos em terras lusíadas, embora já houvesse acontecido a Semana de Arte Moderna de 1922, os maranhenses dela ainda não haviam tomado conhecimento. Tribuzi introduziu na literatura maranhense o poema moderno tipicamente lírico e simultaneamente irônico, sutilmente satírico.Morreu, em São Luís, aos 50 anos de idade, em 1977. Acesse BandeiraTribuzi.


Maria Aragão de Educação em Saúde

MariaARagao
A Rede Maria Aragão de Educação em Saúde do IEMA foi criada pela Resolução CONSUP/IEMA Nº 23, de 24 de janeiro de 2017 e tem por objetivo reunir as Enfermarias de todas as unidades do IEMA. A Rede desenvolve Plano de Trabalho comum e possui Coordenação unificada. A Rede Maria Aragão se vincula à Diretoria de Pesquisa e Extensão do IEMA.

Quem foi Maria Aragão?

MARIA ARAGÃO (1910-1991). Maria José Camargo Aragão nasceu em São Luís, no dia 10 de fevereiro de 1910. Vinda de uma família de sete filhos, a comunista do Maranhão, como ficou conhecida, enfrentou todos os preconceitos por ser negra e mulher. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde dava aulas para conseguir a formação em Medicina pela Universidade do Brasil. Maria Aragão foi médica, professora, diretora do jornal Tribuna do Povo e fez história como líder do Partido Comunista do Brasil. Ela iniciou sua carreira como pediatra, mas mudou sua especialização para ginecologista com o intuito de defender a valorização da saúde da mulher. Em 23 de junho de 1991, morre em São Luís. Ela foi homenageada no documentário “Maria Aragão e Organização Popular”, realizado pela Escola Nacional Florestan Fernandes. Em 2003, foi inaugurado o Memorial Praça Maria Aragão, no Centro Histórico de São Luís, que foi projetado por Oscar Niemeyer. Acesse em FundaçãoPalmares/PersonalidadesNegras/MariaAragao.