Reitor do Iema vai a Brasília em busca de recursos para o Instituto

16 de maio de 2019

ElesóA agenda nacional desta quarta-feira, 15 de maio, foi marcada por manifestações em todo o Brasil contra o bloqueio de bolsas de pesquisa e o corte de 30% dos recursos das universidade federais. Os manifestantes pediram uma educação de qualidade e para todos, bem diferente do que o governo federal deseja.

Na contramão do despautério causado por ‘anúncios’ do governo federal relacionados à educação, o Maranhão registrou evolução nos números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Idebe) nos anos de 2017 e 2018. Dentre as escolas maranhenses que mais têm se destacado está o Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), criado em 2015 pelo governador Flávio Dino. Os números do Instituto são de fazer inveja a muitos donos de escolas particulares do País. Em 2018, o indicador de evasão do Iema é de apenas 0,18%. Nesse mesmo ano, a escola registrou 95% de frequência escolar e 94% de aprovação.

“Esses números são muito expressivos, mas temos outras conquistas também fantásticas como as medalhas nas olimpíadas do Conhecimento, na robótica, nos concursos de redação e na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Acredito que esses números e essas conquistas comprovam que estamos fazendo um bom trabalho, ao mesmo tempo que ‘pedem’ de nós mais empenho para que possamos dar continuidade ao que está sendo realizado”, diz o reitor do Iema, Jhonatan Almada, que nesta semana esteve em Brasília em busca de recursos que viabilizem a manutenção e ampliação do Iema.

O reitor conta que foram dois dias de muita andança entre o Senado Federal e a Câmara Federal, além das visitas às sedes da Unesco e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Dentre os encontros que teve em Brasília, Jhonatan Almada esteve com o professor Anderson Correia, presidente da CAPES, com quem conversou sobre apoio para a qualificação dos professores do Iema e inserção do Instituto em projetos estratégicos. Em sua visita à CAPES, Almada esteve acompanhado por Flaudemira Paula, diretora executiva da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação – Abipti, parceira do Iema.

Na representação da Unesco Brasil, o reitor relatou as ações realizadas pelo Iema ao praticar os princípios de uma educação para a cidadania global, a sustentabilidade e o respeito à diversidade. Almada dialogou com Lorena Carvalho – oficial de Projetos / Setor de Educação – e Andreza Trentino.

O primeiro dia de visita à Câmara foi marcado pelas visitas aos gabinetes dos deputados Márcio Jerry (PC do B), Gastão Vieira (PROS) e Pedro Lucas (PTB). “A todos solicitei apoio ao Iema. Apoio para os projetos de desenvolvimento dos cursos técnicos e laboratórios. Tudo com o objetivo de fortalecer a educação profissional, científica e tecnológica”, afirma Jhonatan.

A agenda do reitor da quarta-feira (15) – a nacional foi marcada por manifestações de protestos contra o governo federal – também foi bastante próspera. Neste dia teve novas visitas à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal. Jhonatan Almada conversou com os deputados Bira do Pindaré (PSB) e Gil Cutrim (PDT). No Senado o reitor do Iema foi recebido por Weverton Rocha (PDT) e pela senadora Eliziane Gama (CIDADANIA). “Estive em Brasília em busca de recursos com os deputados federais e senadores eleitos pelo Maranhão. Estive também na CAPES e UNESCO. Apresentei como foco das nossas demandas os laboratórios técnicos e equipamentos. Todos os que me receberam se mostraram receptivos e estarei cobrando e acompanhando. Vamos lutando com bastante perseverança para superar o momento de crise e encontrar caminhos para captar recursos”, concluiu o reitor do Iema.