Reitor do Iema visita Casa da Mulher Brasileira

12 de abril de 2018

CASA DA MULHER1O reitor do Iema, Jhonatan Almada, acompanhado do secretário-adjunto de Educação Profissional e Inclusão Social, André Bello, visitou na tarde desta quinta-feira (12) a Casa da Mulher Brasileira para acompanhar o andamento do curso de operador de caixa que acontece na modalidade Formação Inicial e Continuada (FICs), em parceria com o Iema. A formação é voltada para mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

O reitor do Instituto, Jhonatan Almada, destacou que os cursos e oficinas do Iema têm por objetivo oportunizar educação profissional e tecnológica para os maranhenses. “Estamos dando continuidade a essa política de oferta que acontece desde o início do governo quando o Iema foi criado. Fiquei surpreso com a demanda para o curso, estamos democratizando o acesso à educação profissionalizante. É motivo de muito orgulho, ficamos muito felizes em ter essa turma pioneira nessa modalidade na Casa da Mulher Brasileira. As formações propiciam geração de emprego e renda”, contou.

O secretário-adjunto de Educação Profissional e Inclusão Social, André Bello, também falou sobre os impactos positivos que os investimentos feitos pelo Governo do Estado têm gerado. “Estamos ofertando qualificação profissional para jovens, desempregados e mulheres em situação de vulnerabilidade social, poderemos contemplar a mudança de muitas realidades. Atualmente é o Estado que mais investe em educação, tornando-se o maior programa de educação profissionalizante já visto no Maranhão”, afirmou.

A diretora da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena, pontuou o quanto essa iniciativa por parte do governo contribui para que muitas mulheres que atualmente se encontram em situação de vulnerabilidade social possam ter uma chance de obter autonomia financeira. “Por meio de pesquisa constatamos que a falta de autonomia financeira é um dos muitos fatores que contribuem para que mulheres vivenciem situações de violência. Com o curso será possível que essas mulheres acometidas por tantas situações desagradáveis tenham uma oportunidade de serem capacitadas e inseridas no mercado de trabalho”, pontuou.

Segundo a coordenadora do curso de operador de caixa, Prudência Neta a formação é um divisor de águas na vida dessas mulheres. “Atendemos no turno vespertino mais de 40 mulheres, e percebemos que elas estão frequentando normalmente, são interessadas. Estamos concedendo toda estrutura para as mulheres que tem filhos pequenos, eles não tem sido empecilho, a força de vontade delas é bem maior. Tenho certeza que ao finalizar elas serão reinseridas no mercado de trabalho”, destacou.

Na oportunidade, mais de 40 mulheres estão realizando o curso, que tem carga horária de 160h. Ao fim do curso as alunas receberão certificação.

Conheça a Casa da Mulher Brasileira

Localizada no Jaracati, reúne diversos órgãos e entidades de referência do Município, Estado, Justiça e Sociedade Civil Organizada. A casa funciona todos os dias, 24 horas. A Casa da mulher Brasileira conta com atendimento humanizado com salas de acolhimento, recepção, abrigo de passagem com alojamentos, brinquedoteca e demais dependências. Atende casos de violência doméstica familiar, casos de estupro, e faz encaminhamento aos órgãos de referência. Promove, ainda, ações de geração de emprego e renda, a partir dos serviços do Sine Mulher – primeiro do Brasil.

Ação em rede integrada de diversos órgãos, como Secretarias de Estado, Delegacia da Mulher com Plantão Especializado, Patrulha da Mulher, Ministério Público, Defensoria Pública, Vara Especial de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Promotoria de Justiça, entidades civis organizadas de apoio e proteção à mulher vítima e demais instituições. A mulher conta, ainda, com o Departamento de Feminicídio, o primeiro do Brasil e criado no governo Flávio Dino.