São Luís 408: Rede IEMA promove avanços e muda cenário da educação na capital

6 de setembro de 2020

Ensino público de qualidade é possível no Brasil. É o que comprovam os resultados do ensino oferecido pelo Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). As unidades oferecem ensino formal com educação técnica-profissionalizante para milhares de estudantes ludovicenses e de todo o Maranhão. Nos 408 anos de São Luís, o IEMA consolida sua missão, ampliando a oferta na educação, aumentando a oportunidade de formação com os diversos cursos de capacitação e proporcionando um futuro mais promissor aos jovens alunos.

O secretário de Estado da Educação (Seduc), Felipe Camarão, ressalta que o IEMA cumpre papel muito importante com a sociedade maranhense, oportunizando educação para pessoas das mais diversas idades. “De fato, o IEMA é uma instituição que veio para mudar a realidade da educação maranhense, proporcionando ensino público e de qualidade para milhares de jovens e adultos beneficiados ao longo desses cinco anos de existência. Em São Luís, lugar onde a instituição nasceu, milhares de ludovicenses foram qualificados nos cursos de geração de emprego e renda, e centenas de estudantes egressos da educação em tempo integral”, destaca o gestor.

A Unidade Plena do IEMA em São Luís – primeira da rede e cinco anos de funcionamento – foi reformada em agosto. Conta com salas de aula amplas e climatizadas, biblioteca, refeitório, seis laboratórios, auditório, área de vivência, quadra poliesportiva coberta, ginásio, piscina, áreas de lazer ampliadas e nova biblioteca. Ganhou ainda novos recursos tecnológicos e pedagógicos para os 562 alunos dos cursos de Eventos, Informática, Meio Ambiente, Serviços Jurídicos e Produção de Áudio e Vídeo.

“A atuação do IEMA perpassa por diversas frentes de atuação. Desde a oferta de ensino em tempo integral, para a formação de estudantes em idade escolar, até a oferta de cursos que oportunizam a qualificação profissional e geração de emprego e renda, a exemplo dos oferecidos nas unidades vocacionais”, acrescenta o secretário Felipe Camarão.

Alunos da unidade se destacaram com classificação para a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e o Torneio Internacional de Robótica (ITR). Devido à pandemia, os eventos são realizados de forma física, mas algumas competições aderiram às plataformas virtuais. Estudante da unidade, Sandel Levy, treina para os campeonatos. “Estamos aprimorando os conhecimentos, mesmo com as atividades normais paradas. É muito importante esse aprimoramento nesse momento de pandemia”, disse.

Primeira escola no ensino bilíngue e em tempo integral da rede pública do Estado, o IEMA Integral Bilíngue, localizado no bairro Bequimão, iniciou as atividades neste segundo semestre. As aulas estão sendo realizadas de forma remota, devido à pandemia do novo coronavírus. Os alunos receberam kits com material didático, que inclui chip com acesso à internet; e semanalmente são disponibilizadas as videoaulas. Às segundas, são entregues material impresso para lições em casa.

Paula Ericeira, mãe de Ângelo Pietro, de sete anos, recebeu o material e descreve a alegria de ver o filho matriculado na nova escola. “A expectativa aumenta a cada dia que passa. Ao receber o kit, aproveitei para conhecer um pouco mais a estrutura da escola. É a segunda vez que venho e cada dia gosto mais, porque nem em sonho imaginava ter essa oportunidade para o meu filho”, diz a mãe.

Em São Luís, a rede IEMA possui 10 unidades, entre Plenas e Vocacionais, com cerca de 1.765 estudantes matriculados. O IEMA oferece educação formal, aliada ao técnico, e, ainda, ensino de vários idiomas, para adolescentes, jovens e adultos. Nas unidades vocacionais – Praia Grande, Escola de Cinema, Estaleiro Escola, Rio Anil e IEMA Idiomas – somam cerca de oito mil beneficiados nos diversos cursos oferecidos.

Fonte: Secap
Fotos: Divulgação
04/09/20