Unidade plena de Matões realiza II Expoetno

9 de junho de 2019

ExpotQuatro turmas do primeiro ano da unidade plena de Matões do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) realizaram durante toda sexta-feira (7) a II Expoetno. A ação tem como objetivo apresentar para a comunidade escolar uma exposição cultural voltada para a temática da cultura africana e indígena brasileira através de representações lúdicas como o teatro, a dança, música, gastronomia e pintura.

Na ocasião, as quatro turmas do primeiro ano foram responsáveis pela iniciativa com propostas diferentes de apresentação: o primeiro grupo trouxe para a exposição a beleza das máscaras utilizando matéria-prima de baixo custo focando na cultura africana contando com culinária e teatro; e o segundo grupo focou nas danças indígenas e pintura corporal.

Segundo a professora de arte, responsável pela organização da exposição, Lívia Araújo, a exposição é uma forma de apresentar os conhecimentos alcançados ao longo do semestre. “Ao fim de cada período sempre desenvolvemos uma exposição para apresentar o que foi desenvolvido ao longo dos meses. Essa é a segunda exposição. Queremos fazer com que toda comunidade escolar aprecie a produção dos alunos”, contou a professora explicando ainda que a arte está conectada com outras disciplinas como a história e geografia.

“Procuramos conectar todas as disciplinas à arte. Este é um ano onde trabalhamos muito a questão do empoderamento cultural, do autoconhecimento e da valorização das raízes. Primeiro visualizamos a construção da identidade cultural, e isso a arte busca e a metodologia do Iema também propõe”, explicou.

ExpoetA professora Lívia Araújo adiantou ainda que ao fim do segundo semestre será produzida uma nova exposição com os conteúdos aprendidos durante o período. “Para o fim do segundo semestre estamos preparando uma didática voltada para o teatro e a dança misturando a arte e língua portuguesa, onde os próprios alunos produzirão figurino e cenário. Este ano queremos homenagear a obra de Gonçalves Dias”, adiantou.

Para a estudante do curso técnico em agropecuária Gleysla Mariana, a exposição foi de grande valia para seu aprendizado. “Quando a professora começou a iniciar o tema da cultura indígena nos interessamos muito, pois a cultura é pouco conhecida e valorizada. As pessoas conhecem por alto, mas quase nunca se aprofundam. Ficamos muito felizes em poder trabalhar essa cultura que é interessante e escolhemos falar sobre ela e utilizamos pintura corporal, adereços de barro, fizemos cocais e penas”, destacou.

FOTOGRAFIA

Na próxima segunda-feira (10), acontece uma segunda exposição na unidade, com o tema “FotografiaXPintura”. “Serão expostos retratos com desenhos baseados na técnica impressionista com o uso de tinta à base de água. É um trabalho muito interessante de fazer, pois na produção desenvolvemos técnicas e trabalhamos com a coordenação motora e criatividade. Na exposição divulgaremos os trabalhos que eu já faço com desenhos”, frisou a estudante do curso de eletroeletrônica Ayla Trindade.