Unidades vocacionais do Iema estão formando maranhenses empreendedores

6 de julho de 2018

Os cursos vocacionais do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) preparam e qualificam os cidadãos maranhenses através de uma formação profissional para que possam aprimorar suas habilidades e executar funções específicas demandadas pelo mercado de trabalho. Os jovens e adultos dos municípios de Peritoró e Santa Filomena são exemplos exitosos que estão empreendendo e garantindo renda por meio das formações recebidas no Instituto.

O aluno Manoel de Carvalho está concluindo o curso de manutenção e instalação de ar-condicionado na UV de Peritoró e montou seu próprio negócio. Ele explica que o curso abriu as portas para o mercado de trabalho. “Eu já tinha um pouco de conhecimento na área de manutenção e instalação de ar-condicionado e depois da profissionalização no Iema vi uma oportunidade de começar um empreendimento, pois aqui no município existem poucos profissionais no ramo de refrigeração”, contou Manoel. Além dele, mais 37 alunos fazem parte do curso e estão pretendendo montar suas empresas.

Já no município de Santa Filomena, as 25 estudantes do curso de agricultura orgânica assinaram um contrato de venda institucional com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). De acordo com o gestor da unidade, Marcio Ramos, as alunas são beneficiários do programa Mais IDH e tiveram acesso a curso. “Após a formação, elas foram convidadas para a iniciativa Progride, na qual serão construídas cinco estufas para a produção de orgânicos”, explicou o gestor.
Segundo o secretário adjunto de educação profissional e inclusão social, André Bello, os alunos do Instituto são qualificados para alavancar o desenvolvimento do Maranhão. “Iniciaremos neste segundo semestre as certificações referentes aos cursos vocacionais do primeiro semestre de 2018. Capacitamos diversos maranhenses espalhados em todos os municípios do Maranhão e é com muita felicidade que observamos que o Iema chegou a um estágio que os alunos além de receber seus certificados estão aprimorando seus conhecimentos e ingressando no mercado de trabalho. O Instituto está oportunizando qualificação profissional, gerando renda e emprego”, afirmou.
Corroborando com André Bello, o reitor do Iema, Jhonatan Almada, destaca que 13 mil maranhenses já foram capacitados em anos anteriores, um resultado expressivo para a educação do estado. “Esses resultado expressam os investimentos dos últimos quatro anos que o Governo do Maranhão fez em educação profissional, um investimento de seis milhões de reais que começa a gerar os seus primeiros frutos com os egressos empreendendo e abrindo suas próprias empresas. A iniciativa claramente vai gerar desenvolvimento através de novas empresas de prestação de serviço que estão surgindo e garantindo que a economia maranhenses se fortaleça nesse aspecto e nesse âmbito das micro, pequenas e médias empresas”, destacou o reitor.