UP Iema de Bacabeira homenageia Maria Firmina dos Reis

29 de novembro de 2018

IMG_0075No encerramento das atividades referentes à Semana da Consciência Negra, a unidade plena de Bacabeira do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) homenageou Maria Firmina dos Reis, maranhense nascida em São Luís em março de 1825 e que em 1859 publicou o romance Úrsula, considerado o primeiro de uma autora do Brasil. Firmina dos Reis foi nomeada a patrona da biblioteca da unidade de Bacabeira.

Bibliotecária da UP Bacabeira e coordenadora de Rede de Bibliotecas do Iema, Leryane Raquel Urbano Lima explica que no processo de escolha da patrona foi levado em consideração o fato de o selecionado ser uma mulher, professora, escritora e maranhense. “Queríamos um nome que representasse a literatura no Maranhão. Nossa pesquisa levou em consideração as homenagens que ela recebeu na Feira do Livro de São Luís”, conta a bibliotecária, lembrando que os alunos também participaram da triagem que culminou na escolha do nome de Firmina.

Representando Jhonatan Almada, reitor do Iema, Gustavo Andrade – diretor de Planejamento e Administração (Diplan) – ressaltou o exemplo de luta de Maria Firmina, mulher negra que se dedicou à educação. “Este espaço tem grande importância para que os alunos invistam cada vez mais em si mesmos, dia a dia, e assim se preparem para enfrentar novos desafios como a universidade.”

A homenagem a Maria Firmina dos Reis teve lançamento de livro, apresentação musical, leitura de crônicas, declamação de poesia e descerramento de placa. Professora e pesquisadora, Dayane Andréia Rocha Brito contou um pouco da vida da patrona da biblioteca com a palestra “Maria Firmina dos Reis: resistência e participação feminina na literatura maranhense”. “Ela tem grande importância para a literatura, porém não falam dela de forma incisiva nos estudos literários”, afirmou a pesquisadora.

O evento teve a participação de grande número de alunos, professores, familiares e convidados especiais. “Maria Firmina foi dedicada às letras. Que este espaço seja um lugar de aprendizagem, de produção de conhecimento e também de reconhecimento da biblioteca”, disse Ana Claudia Oliveira Santos, gestora do Iema UP de Bacabeira.

Cronistas Protagonistas

IMG_0123A obra “Cronistas e Protagonistas” foi lançada como parte das atividades da Semana da Consciência Negra e ainda como homenagem a Maria Firmina dos Reis, cujo rosto estampa o livro de 52 páginas. Organizado pela gestora Ana Cláudia Oliveira Santos, a bibliotecária da unidade Leryane Raquel Urbano Lima e pelo professor de língua portuguesa Valdison Almeida Reis, o livro é composto por 30 crônicas escritas por alunos da unidade de Bacabeira. “São alunos com idade entre 16 e 17 anos de vida. Abordam várias temáticas, mas de modo geral ressaltam suas angústias em relação ao mundo, seu dia a dia na escola, na família… seus relacionamentos pessoais”, explica o professor Valdison.

Lista de escritores

IMG_0051O primeiro livro de crônicas escrito por alunos da unidade plena do Iema e Bacabeira contou com a participação de 17 estudantes e tem 30 crônicas. Kaylane Thays Silva Oliveira (de 16 anos), que escreveu sete das crônicas, dentre elas “Equilíbrio”. “É baseada no término de um relacionamento. Falo como me reergui”, conta Thays ao revelar que descobriu “que cronistas costumam ter suas vidas expostas”.
Há um bom tempo sem escrever, Ana Clara Nazar Nogueira também é uma das escritoras de “Cronistas Protagonistas”. Clara é a autora de “Sinal vermelho”, por meio do qual conta o que viu e viveu um dia em um estacionamento.

A lista de escritores é composta ainda por Vitória da Silva Santana, Larissa Dias Gonçalves, Ítalo Gonçalves das Silva, Fabrízia Cristine Chaves, Aniely Lopes dos Santos, Matheus Serra da Silva, Edenilra Vilaça da Silva, Eduarda de Sousa Carvalho, Lidiane Fernanda Costa Lima, Ana Beatriz Mendes Almeida, Jhully Cristhina da Conceição Sampaio, Emylle Fernanda Mendes Desterro, Yasmin Christiny Santos Fernandes, Cleana Rosa Rodrigues e Franciele Dias Lima.